FANDOM


Asgore Dreemurr (/ˈæz.ɡɔɹ ˈdʒɹiː.məɹ/, AZ-gore DREE-murr) é o governante do Subsolo e de seus habitantes, monstros. Ele é o ex-marido de Toriel, pai de Asriel Dreemurr, o pai adotivo de Primeira Criança Caída e o segundo chefe final da Rota Neutra.

Perfil

Aparência

Asgore é um monstro com aparência de um bode, com ombros largos, uma cabeleira loira e barba, e dois grandes chifres curvos. Ele veste uma armadura com o símbolo da Runa Delta, uma capa roxa com espaldadeiras amarelas, e uma coroa no topo de sua cabeça.

Personalidade

Asgore é um homem amável e descontraído; ele tenta ser tão amável quanto possível para o protagonista, apesar de saber que ele acabará por ter de tomar a sua alma. Ele gosta de jardinagem durante o seu tempo livre, e seu tipo favorito de chá é de flor dourada.

A maioria dos Monstros no Subsolo consideram Asgore ser um excelente rei, apesar de ser péssimo para nomear as coisas. Toriel, no entanto, atualmente critica-o como um governante indeciso e fraco, que prefere manter os monstros presos no subsolo à espera de ser salvo, ao invés de ir e tomar as almas necessárias para quebrar a Barreira no Monte Ebott.

História

Antes dos acontecimentos de Undertale, Asgore e Toriel foram originalmente casados como Rei e Rainha do Subsolo, depois de terem sido expulsos da superfície após a guerra. Eles tiveram um filho, Asriel, bem como uma segunda criança adotada, o primeiro humano.

A tragédia da morte de seus dois filhos traçou Asgore à conclusão de que todos os seres humanos eram perigosos, e decidiu matar qualquer ser humano que caísse no Subsolo e colher a sua alma, tudo para reunir o poder necessário para destruir a barreira. Toriel, abalada por sua decisão, divorciou-se de Asgore e abdicou seu trono, e retirou-se para viver nas Ruínas, onde ela iria cuidar de todos os seres humanos que caírem no Subsolo.

Rota Neutra

Asgore cumprimenta o protagonista quando ele chega na Sala do Trono, enquanto ele estava regando flores. Ele conforta o protagonista e o leva para a barreira, onde ele lhe dá a chance de voltar se ele tem alguma coisa a fazer antes da luta, admitindo que ele também não está pronto.

LUTAR contra Asgore é a única maneira de progredir para o final. A maioria dos personagens no jogo se referem a ele nas capitais e no texto vermelho ou amarelo. Isso adiciona suspense para a próxima luta, provavelmente com a intenção de causar novos jogadores a pensar que Asgore é o chefe final.

Antes de lutar, Asgore diz ao protagonista que foi bom conhecê-lo. Em seguida, ele retira o tridente e destrói o botão PIEDADE, possivelmente para enfraquecer o protagonista piorando suas chances de ganhar ou para impedir que o protagonista poupe-o e quebre a esperança dos monstros. Muito parecido com Toriel, atacar Asgore quando ele está com baixo HP irá lhe dar significativamente um maior dano. No entanto, ele sobrevive ao ataque com uma pequena quantidade de saúde restante e se ajoelha na derrota, falando com o protagonista sobre sua declaração de guerra contra a humanidade, admitindo que ele só queria dar esperança aos monstros, e pede-lhe para tomar sua alma.

É dada ao protagonista a escolha de matar Asgore selecionando o botão LUTAR ou poupá-lo selecionando o botão PIEDADE danificado.

  • Se o protagonista mata Asgore, ele morre sorrindo. Antes do protagonista levar sua alma, e passar através da barreira, Flowey destrói a alma de Asgore. Ele diz ao protagonista que ele finalmente percebeu que este é um mundo de "matar ou ser morto".
  • Se Asgore é poupado, Asgore é surpreendido que o protagonista possa optar por permanecer no Subsolo e se oferece para cuidar dele. Flowey aparece e acaba com Asgore, destruindo o corpo e a alma. Em seguida, ele zomba do protagonista, dizendo que ele ainda não aprendeu que este é um mundo de "matar ou morrer".

Mas mesmo apertando em PIEDADE, Asgore pode cometer suicídio, caso a rota atual preceda uma genocida ou mesmo realizando esta, porém a abandonando pouco antes da batalha contra Sans.

Se o protagonista já tinha completado uma Rota Neutra de antemão, e em que tinha matado Flowey, e escolhe poupar Asgore novamente, Asgore começa a falar que ele se importaria com o protagonista, mas para, percebendo que sua alma é a chave para o protagonista passar pela barreira. Depois de contar ao protagonista que era o que seu filho, Asriel Dreemurr, queria, ele se sacrifica para dar o protagonista a sua alma, na esperança de que o protagonista irá encontrar uma maneira de libertar os monstros da superfície. Em seguida, Asgore vira poeira, a sua alma permanece por um momento, apenas para ser destruída por Flowey, que zomba do protagonista por pensar que matá-lo teria feito a diferença.

De qualquer maneira, Flowey rouba as seis almas humanas que foram reveladas antes da luta, fecha o jogo, e o protagonista passa a lidar com Flowey. Após a derrota de Flowey, o protagonista passa a deixar o Subsolo. A morte de Asgore tem um sério impacto nos monstros.

Verdadeira Rota Pacifista 

Quando o combate com Asgore começa, ele é interrompido por Toriel, que afirma quão terrível ele é e como ele poderia procurar ferir uma criatura inocente como o protagonista. Esse é o mesmo texto usado quando ela interrompe Flowey no início do jogo. Ela também atinge Asgore da mesma maneira, mas por algum motivo, Toriel dispara a bola de fogo lentamente em Flowey, enquanto em Asgore ela dispara a bola de fogo rapidamente. Depois de atacar Asgore, ela explica que a razão para a interrupção da batalha é para evitar o sacrifício de um para outro sair do Subsolo, como ela vem tentando fazer desde o começo. Ela também revela que Asgore poderia apenas ter pego uma alma e deixado, mas ele optou por ter sete em vez disso. Depois disso, UndyneAlphysPapyrus e Sans chegam e começar a conversar, até que Flowey aparece e prende todos.

Durante a luta contra Flowey, que se transformou em Asriel Dreemurr, Asgore aparece como uma das almas perdidas. Após a luta, ele pode ser visto no epílogo, perguntando ao protagonista se ele irá se tornar o embaixador dos monstros para a humanidade na superfície. Ele também aparece durante os créditos do Final Pacifista, aparando um arbusto na forma do rosto de Papyrus na frente da nova escola de Toriel.

Rota Genocida

Quando o protagonista chega a sala do trono, Asgore, que foi dito por Flowey sobre sua chegada, não reconhece o protagonista como um ser humano, perguntando a ele que tipo de monstro ele é. O protagonista inicia combate e esgota todo o HP de Asgore com um único golpe. Flowey retorna à região, termina de matar Asgore e destrói a alma dele. Então, implora para o protagonista não matá-lo, só que o protagonista o mata mesmo assim. Uma curiosidade é que, caso o jogador esteja fazendo uma rota pacifista posteriormente a uma Genocida, o rei se mata ao final da batalha, mas mesmo assim sua alma é pega por Flowey, que se transforma em Omega Flowey ou Asriel Dreemurr.

Habilidades

Em uma Rota Neutra antes do início da luta, Asgore destrói o botão MERCY, mas enquanto estiver na Rota do Genocídio, o botão MERCY já está ausente. Ele ataca principalmente com bolas de fogo e seu tridente.

  • Magia de Fogo: Semelhante à Toriel, Asgore parece ter um domínio sobre o elemento fogo, usando-o para inúmeras técnicas contra seus inimigos.
  • Tridente: Asgore mostrou ser extremamente proficiente com seu tridente, movimentando-o por todo o campo de batalha em uma tentativa de bater no seu adversário. 

Técnicas

  • Quatro ondas de pequenas bolas de fogo se movem do topo da tela, que se curvam em um padrão de dupla hélice. Este ataque faz 8 de dano por acerto.
  • Ondas menores de pequenas bolas de fogo (6 de dano por golpe) movidas no meio da tela são intercaladas com enormes nuvens de projéteis que cobrem lados inteiros da tela (8 de dano por golpe).
  • Círculos parciais de bolas de fogo que espiralam gradualmente ao redor do Bullet Board. Este ataque faz 8 de dano por acerto.
  • Suas mãos se movem ao longo dos lados da tela, deixando para trás grandes bolas de fogo que se movem em direção à alma do protagonista depois que todas as balas aparecem. Eles voltam para o local onde a alma estava quando eles começaram a se mover. Este ataque causa 6 de dano por golpe, mas as patas não causam dano.
  • Anéis de grandes bolas de fogo disparam do topo da tela, movendo-se gradualmente de um canto para o outro. Este ataque faz 6 de dano por acerto
  • Os olhos de Asgore brilham em azul e laranja aleatoriamente, seguidos por ataques na mesma ordem dos flashes de seu tridente, que atingiram o Bullet Board inteiro. Isso usa ataques azuis e laranja. Este ataque faz 6 de dano por acerto.

Curiosidades

  • O primeiro nome de Asgore é um anagrama da palavra latim "Aegros", que pode significar perturbador, ansioso, triste, difícil, ou relutante.
  • Durante a batalha contra Asgore, ele esconde o rosto, olhando para baixo, mostrando a sua relutância em lutar. Ele é realmente incapaz de forçar-se a olhar para o protagonista, seus ataques são em todos os lugares, e vagamente apontada para a direção do jogador.
  • Asgore não pode morrer de velhice. Gerson explica que Asgore é um Monstro Chefe, uma espécie rara que envelhece à medida de quanto os filhos dessa espécie crescem. Já que Asgore não tem mais filhos, ele permanece na mesma idade.
  • Asgore pode ter um pouco de conhecimento ou memórias de outras linhas de tempo como evidenciado por sua falta de surpresa com o protagonista dizendo que já matou ele antes.
  • No final da Rota Verdadeira Pacifista, ao salvar as almas perdidas, o AGIR para a alma de Asgore são referências para a batalha de chefe na Rota Neutra (Piedade, Poupar, Falar) que, tecnicamente, nunca ocorreu nessa linha do tempo.
  • A música da batalha contra Asgore possui um trecho da "Determination", música que toca durante a tela de Fim de Jogo.
  • A voz de Asgore pode ser ouvida na tela de Fim de Jogo. Sua voz pode ser ouvida independentemente de o protagonista estar na Rota Pacifista Verdadeira, Neutra, ou Genocida. Há evidências de que as frases que Asgore fala na tela de Fim de Jogo sejam as mesmas frases que ele fala para Chara quando está morrendo.